VOCÊ BEM-INFORMADO SEMPRE!

22.9 C
Campina Grande

VOCÊ BEM-INFORMADO SEMPRE!

Como o Qatar trata impasse sobre cerveja e homossexualidade para Copa-2022

A Copa do Mundo de 2022 será realizada pela primeira vez no
Oriente Médio. O Qatar, assim como outros países árabes, possui
leis em relação ao consumo de álcool e ao homossexualidade. Os
temas, claro, causam polêmica desde que a Fifa escolheu a sede
em 2010. A mais de três anos do Mundial, no entanto, as
possibilidades são discutidas entre o comitê organizador e a
entidade máxima do futebol mundial. O Qatar é um país
conservador e prega respeito à sua cultura. A comercialização e o
consumo de álcool são proibidos em locais públicos para os
muçulmanos. A exceção se dá nos hotéis internacionais, onde os
estrangeiros têm uma vida à parte. Só que a Copa do Mundo possui
uma espécie de “cultura cervejeira”, na qual os torcedores
costumam beber dentro e fora dos estádios. Uma gigante do
mercado, inclusive, é patrocinadora do evento e tem interesse direto
nos rumos do torneio no Mundo Árabe.
A reportagem do UOL Esporte está no país da próxima Copa do
Mundo e questionou o Comitê de Entrega e Legado sobre o
impasse. O torcedor estrangeiro que comparecer ao Qatar poderá
consumir álcool como nos últimos Mundiais?
“Essa é uma questão que analisamos com a Fifa. Vamos receber
todos, independentemente das culturas e crenças. Somos um país
conservador e queremos respeito às nossas culturas e tradições.
Atualmente, o álcool é permitido em alguns locais e esse deve ser o
cenário. A Copa do Mundo promove uma troca de culturas. Pessoas
se juntam em um único país. O Qatar tem muito a oferecer, assim
como qualquer outra nação. E isso não se limita apenas ao álcool,
que dura alguns minutos ou horas”, disse o porta-voz do Comitê de
Entrega e Legado da Copa do Qatar, Khalid Al-Naama.
As possibilidades estão em estudo, mas passam pelas tradicionais
áreas de concentrações de torcedores e pela cultura do país. Ainda
não se sabe sobre a venda em estádios, um ponto que envolve
milhões de dólares na Copa do Mundo.

“Há dois tipos de Fan Zone, como foi no Brasil e na Rússia. Tem o
Fifa Fan Fest, organizado pela Fifa e tem a Fan Zone, feito pelo
país anfitrião. Essa é a grande diferença. Na Fan Fest, a Fifa pode
fazer as propagandas que quiser, já na Fan Zone é mais uma festa
sobre o país. Haverá áreas com e sem álcool para os torcedores.
Teremos opções para todos”, garantiu o porta-voz.
Sobre a questão da homossexualidade, o raciocínio é semelhante,
embora o Qatar seja um dos mais liberais em comparação aos
vizinhos árabes. É necessário respeitar a cultura do país, já que
demonstrações de afeto em público não são bem-vindas.
Estima-se, inclusive, que até 80% dos nascidos no Qatar deixem o
país no período do Mundial. Primeiro pelo interesse reduzido no
futebol e, depois, para que os estrangeiros tenham razoável
liberdade.
“Todas as questões e alternativas são discutidas para que
tenhamos uma excelente Copa do Mundo. Somos um país com
uma cultura enorme e com inúmeras possibilidades para os turistas
que aqui chegarem”, encerrou o porta-voz.
UOL

Últimas Notícias

Polícia Civil autua suspeito de agredir duas mulheres no Parque do Povo, em Campina Grande

Um caso de agressão contra duas mulheres no Parque do Povo, em Campina Grande, local onde acontece as festas de São João da cidade,...

Governo estuda rever programas sociais e previdência militar para conter gastos

Em discussão interna na equipe econômica, a “ampla, geral e irrestrita” revisão de gastos públicos deve ser analisada posteriormente pelo presidente Luiz Inácio Lula...
spot_img
spot_img
spot_img
Campina Grande
nuvens quebradas
22.9 ° C
22.9 °
22.9 °
88 %
2.6kmh
75 %
sex
24 °
sáb
27 °
dom
22 °
seg
27 °
ter
19 °